Quem Somos | O que é? | Aparelhos | Artigos | Agenda | Testemunhos | Perguntas Frequentes | Links | Contato
Artigos
Implante auditivo de tronco cerebral: técnica cirúrgica e resultados auditivos precoces em pacientes com neurofibromatose tipo 2
Artigo publicado na Revista Brasileira de Otorrinolaringologia.
2008;74(5):647-51.

Versão em PDF
Implante auditivo de tronco cerebral: técnica cirúrgica e resultados auditivos precoces em pacientes com neurofibromatose tipo 2

Ricardo Ferreira Bento1, Rubens Vuono Brito Neto2, Robinson Koji Tsuji3, Marcos Queiroz Telas Gomes4, Maria Valéria Schmidt Goffi-Gomez5
1 Professor Titular da Disciplina de Otorrinolaringologia da Faculdade de Medicina da USP.
2 Professor Livre-Docente da Disciplina de Otorrinolaringologia da Faculdade de Medicina da USP.
3 Pós-Graduando. Médico assistente da Divisão de Clínica Otorrinolaringológica do HC-FMUSP.
4 Médico assistente da Disciplina de Neurocirurgia da Faculdade de Medicina da USP.
5 Doutora. Fonoaudiológica da Divisão de Clínica Otorrinolaringológica do HC-FMUSP.

Resumo:
O implante auditivo de tronco cerebral foi desenvolvido para restaurar alguma audição útil em pacientes que apresentam ausência de nervo coclear bilateralmente. Objetivos: Discutir a indicação, cirurgia e resultados em quatro pacientes submetidos à cirurgia para colocação de implante auditivo de tronco cerebral. Casuística e Métodos: Quatro pacientes com diagnóstico de schwannomas vestibulares bilaterais foram submetidos à cirurgia para colocação de Implante Auditivo de Tronco Cerebral durante o mesmo ato cirúrgico utilizado para a exérese de um dos tumores. Aspectos clínicos e técnicos e as referências anatômicas da cirurgia e os resultados auditivos foram analisados. Resultados: Em todos os casos foram identificados as referências anatômicas ao forame de Luschka. As complicações cirúrgicas se resumiram à fístula liquórica em dois pacientes. Os eletrodos foram bem posicionados e a sensação auditiva foi suficiente para reconhecimento de sons e auxílio à leitura labial. Conclusão: Os resultados auditivos de nossos pacientes abrem uma perspectiva importante aos pacientes com surdez profunda bilateral sem integridade anatômica das vias auditivas centrais.