Quem Somos | O que é? | Aparelhos | Artigos | Agenda | Testemunhos | Perguntas Frequentes | Links | Contato
Artigos
ESTRATÉGIAS DE CODIFICAÇÃO DE FALA DO IMPLANTE COCLEAR
As estratégias de processamento da fala são caracterizadas por um conjunto de regras para converter os sinais acústicos em estimulação elétrica.
Aqui você pode ler um resummo das atuais estratégias disponíveis pelos processadores atuais.
As estratégias de processamento da fala são caracterizadas por um conjunto de regras para converter os sinais acústicos em estimulação elétrica. O som de entrada é divido em um número de filtros pré-determinados. Cada filtro será direcionado a um canal específico (par de eletrodos). Estes filtros selecionam as principais características acústicas do som de entrada (freqüência, intensidade e duração) que serão codificadas em uma estimulação pulsátil seqüencial. É importante que toda estratégia de codificação de fala apresente adequada resolução espectral e resolução temporal para melhor percepção da fala.

1. Spectral Peak (SPEAK)
Utilizada no sistema multicanal Nucleus. Nela, um som entre 100 e 8.000 Hz pode ser dividido por um filtro em 20 bandas de freqüência. A estratégia seleciona de 1 a 8 máximas (pré-determinada durante a programação) a 250 pulsos por segundo (Hz) por canal (um pulso a cada 4 ms). A seleção prioriza a ênfase nas variáveis espectrais. Por ter baixa velocidade é mais econômica em termos de consumo de energia. É recomendada para pacientes que se beneficiam de baixa velocidade de estimulação ou que necessitem de fortes níveis de corrente na programação (para economizar bateria)

2. Continuous Interleaved Sampling (CIS)
Utilizada tanto pelo sistema Nucleus como pelo sistema Med-El. Estimula múltiplos canais não simultaneamente (pulsos intercalados). São utilizados de 4 a 12 canais fixos e a velocidade de estimulação é muito maior, podendo chegar a 1.800 Hz por canal. A estratégia CIS prioriza a informação temporal ao invés da informação espectral. É recomendada especialmente em casos de inserção parcial do feixe de eletrodos quando há poucos canais de estimulação disponíveis.

3. Advanced Combination Encoder (ACE)
A estratégia ACE combina as vantagens das estratégias citadas anteriormente. Similarmente a estratégia SPEAK, o espectro de freqüência pode variar entre 22 canais. Há uma seleção dinâmica dos canais estimulados dependendo das máximas de maior amplitude. Como a estratégia CIS, a velocidade de estimulo é alta podendo chegar a 1.800Hz por canal (e uma velocidade total de 14.400 pulsos por segundo). Desta maneira oferece uma boa representação espectral com altas velocidades, melhorando também a resolução temporal. É a estratégia de maior flexibilidade.

4.Estratégias Avançadas: Hi-ACE (Cochlear); Hi-CIS (Cochlear e MedEl) e HiRes (Clarion)
Permitem aumento global da velocidade de estimulação. Na estratégia Hi-ACE até 36.000 pulsos por segundo, na Hi-CIS até 50.000 e na HiRes até 90.000.
Melhoram a resolução temporal, facilitando por exemplo, a percepção de músicas. Contudo é importante notar que nem todos os pacientes se beneficiam de velocidades altas, porque pode haver "fadiga" do nervo em alguns casos (especialmente pacientes com neuropatias e com surdez pós-meningite).
Mariana Guedes